quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Uma cidadã portuguesa foi detida em Londres minutos depois de casar com imigrante ilegal

Uma jovem portuguesa de 21 anos foi detida em Londres minutos depois de casar com um imigrante nigeriano, por alegadamente estar a ajudá-lo a entrar de forma ilegal no país. A portuguesa já foi libertada e aguarda uma formalização da acusação.
A detenção ocorreu a 17 de Setembro mas só agora foi divulgada pela polícia britânica, como um exemplo da forma como as autoridades estão a combater a imigração ilegal.
A mulher, cuja identidade não foi revelada, estava ainda vestida com o seu traje de noiva, quando foi parada à porta de uma igreja em Dulwich, no sul de Londres, num carro com dois homens, mas nenhum não era o novo marido.
A polícia só agiu porque o Ford Mondeo onde seguia a cidadã portuguesa foi identificado como procurado pelas autoridades.
Um dos homens que se encontravam no interior tinha cadastro criminal e também foi detido, contou à Agência Lusa um porta-voz da Polícia Metropolitana de Londres.
Os agentes desconfiaram do casamento quando se aperceberam que o noivo, um nigeriano de 37 anos, tinha saído separadamente da igreja, numa outra viatura. Foi detido, aguardando a deportação para o país de origem.
A portuguesa foi entretanto libertada e aguarda o fim das investigações, que deverão resultar na acusação de ajudar um imigrante a entrar de forma ilegal no país. Um porta-voz da Agência para as Fronteiras adiantou que, dependendo da acusação, a mulher pode incorrer numa pena até 14 anos de prisão.
A jovem está a residir temporariamente na casa de amigos em Southwark, também no sul de Londres.
O caso deverá ser reavaliado a 6 de Novembro para determinar se vai a julgamento. A polícia está convencida de que tem elementos suficientes para avançar para o tribunal. "Estamos bastante confiantes de que o casamento era falso", disse à Lusa a mesma fonte policial.
O caso mais recente de casamentos envolvendo imigrantes ilegais, referiu, aconteceu na Escócia e o "facilitador" foi condenado a dois anos de cadeia.
Legislação introduzida recentemente no Reino Unido determina que extra-europeus sem autorização de residência têm de pedir por escrito uma autorização para casar.
De acordo com o ministério do Interior, só no ano passado foram identificados 400 casos suspeitos, número inferior aos 3500 registados em 2004.

Em resumo... este casamento não teve direito a lua-de-mel!

Um comentário:

Crest© disse...

Onde moro na Alemanha até recentemente, quem liderava esse tipo de crimes eram os Portugueses. Um jovem de 26 anos fugiu para Portugal, depois de se ter casado e divorciado 6 vezes com prostitutas sul americanas. Tem um mandato de captura Europeu neste momento.
As prostitutas pagavam normalmente 10 a 20,000 Euros por casamento.

Na Alemanha, não prendem ninguém à porta da igreja, são mais humanos que os Ingleses, pois todos são inocentes até prova em contrário.

A nova lei diz que: "Qualquer casamento entre um cidadão da união Europeia e um cidadão de fora, será temporário durante 5 anos (mesmo que um deles seja Alemão). Durante este tempo o casal será regularmente visitado pelas autoridades que irão certificar-se da veracidade do casamento. Só após esses 5 anos de vida matrimonial é que o casamento passa a ser efectivo e um divorcio sem perda de direitos de residência é possível."

Claro que estes casamentos são suspeitos, mas pedir autorização para casar num país como Inglaterra, que dá asilo por tudo e por nada, é um pouco hipócrita.